Ciência comprova: Mulher fica fora do corpo quando quer

Regiões do cérebro ativadas enquanto a voluntária tinha experiências extracorpóreas. As regiões ativadas mais significativamente ficam no lado esquerdo e incluem a área motriz suplementar (F), o cerebelo (B,D,E), o giro supramarginal (D,F), o giro temporal inferior (B,D,F) e os giros orbitofrontais médio e superior (A,C,D,E).

Regiões do cérebro ativadas enquanto a voluntária tinha experiências extracorpóreas. As regiões ativadas mais significativamente ficam no lado esquerdo e incluem a área motriz suplementar (F), o cerebelo (B,D,E), o giro supramarginal (D,F), o giro temporal inferior (B,D,F) e os giros orbitofrontais médio e superior (A,C,D,E).

Em recente estudo publicado em fevereiro de 2014 pela Frontiers of Human Neuroscience, os pesquisadores Andra M. Smith e Claude Messierwere, da Universidade de Ottawa (Canadá) descrevem como monitoraram uma voluntária, estudante de psicologia com 24 anos de idade, que afirmava ter projeções lúcidas, usando a técnica fMRI.

Os resultados obtidos mostraram uma “forte desativação do córtex visual”, enquanto “o lado esquerdo de diversas áreas associadas a imagens cinestésicas” (relacionadas a percepção de movimento, peso e posição do corpo) estava bastante ativo.

A conclusão dos pesquisadores é que a “experiência fora do corpo” é real, no sentido de que a pessoa está realmente vivenciando tudo. O escaneamento do cérebro mostra que ela está passando pelo que está dizendo, e realmente sente que está fora do próprio corpo.

Mas, isso não significa que a “alma” está, de fato, fora do corpo. Nenhuma projeção lúcida ou atividade paranormal de qualquer tipo foi registrada pois esse não era o objetivo da pesquisa.

O fato é que, havendo apenas poucos experimentos sobre o assunto, os cientistas acreditam que as experiências fora do corpo são um tipo de alucinação, desencadeada por algum mecanismo neurológico.

Smith e Messierwere especulam que tal mecanismo neurológico pode estar presente também em outras pessoas, e algumas delas – como esta mulher – podem se treinadas para ativá-lo. A voluntária disse que começou a fazer isso quando era criança, enquanto tirava cochilos.

Os pesquisadores especulam que talvez as experiências fora do corpo possam ser como algo como a sinestesia, um fenômeno neurológico amplamente ignorado durante boa parte do séc. XX. Ela faz com que algumas pessoas vejam cores quando leem ou ouvem letras, números e palavras; é algo automático, não induzido. Agora a sinestesia é aceita, estudada e compreendida.

Aparentemente, esta é a primeira vez que este tipo de experiência (em outras palavras, essa demonstração das mudanças cerebrais) foi analisada e documentada e divulgada cientificamente. Na verdade, pode ser o primeiro caso documentado pela ciência de alguém que pode entrar neste estado quando quer.

Para Saber Mais

Experiências Fora do Corpo – Fundamentos

Experiências Fora do Corpo: O Guia do Iniciante

www.metaconsciencia.com

www.estadovibracional.com

Livros:

Livro Estado VibracionalLivro Experiências Fora do Corpo - Fundamentos

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios

Um comentário sobre “Ciência comprova: Mulher fica fora do corpo quando quer

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s