EFC – Experiência Fora do Corpo

FC26052016

EFC – Experiência Fora do Corpo

Autor: Cesar de Souza Machado  Reprodução: Veja licenciamento abaixo.

Definição: A Experiência Fora do Corpo ou EFC é um fenômeno parapsíquico que consiste na descoincidência dos veículos de manifestação da consciência humana ocorrida de modo voluntário ou não, caracterizada, em termos físicos, como um estado diferenciado de consciência.

Origem: O termo Experiência Fora do Corpo provém da tradução de outro termo, da língua inglesa, Out-of-Body Experience ou OBE, criado pelo psicólogo e parapsicólogo americano Charles T. Tart (1937-/) na década de 1960 para designar o fenômeno projetivo em lugar de astral projection e astral travel, considerados místicos. O termo OBE tornou-se popular no âmbito da parapsicologia e surgiu na língua portuguesa na década de 1970.

Etimologia: A palavra experiência provém do Latim experientia que significa prova; ensaio; tentativa; prática; destreza; habilidade. A palavra fora procede do Latim foras que significa longe de; para fora de. A palavra corpo procede do Latim corporalis que significa relativo ao corpo; corporal.

Sinonimologia: Arrebatamento (igrejas cristãs); desdobramento (espíritas brasileiros); keshara (do idioma Sânscrito, empregado pelos hindus); OBE: Out-of-Body Experience (termo comum na parapsicologia e na língua inglesa); projeção astral (o termo mais popular na Internet); projeção da consciência (Projeciologia); sonho lúcido (psicologia, psiquiatria e neurologia); viagem astral (meio esotérico).

Taxologia: A taxologia básica da EFC inclui os seguintes aspectos.

  • Indução: espontânea, autoinduzida ou heteroinduzida;
  • Grau de lucidez: inconsciente, semiconsciente ou consciente (variando nesse caso de 20 a 100%);
  • Rememoração: integralmente rememorada, parcialmente rememorada e não rememorada;
  • Veículo extrafisico predominante: psicossoma (mais comum) ou mentalsoma;
  • Completude: parcial (apenas uma parte de um veículo extrafísico) ou completa;
  • Alcance: restrita, geograficamente irrestrita e exoprojeção (se estendendo até outros planetas);
  • Duração: curtíssima (segundos), curta, média ou longa duração (horas)
  • Frequência: rara, periódica ou rotineira.

Experimentologia: A EFC pode ser induzida pelo próprio projetor por meio de centenas de técnicas projetivas disponíveis que se agrupam em três grandes modalidades:

  • Técnicas psicológicas (exemplos: autoprogramação, visualização)
  • Técnicas fisiológicas (exemplos: autorelaxamento, postura projetiva)
  • Técnicas bioenergéticas (exemplos: estado vibracional, exteriorização de energias)

Acabativa: A EFC é um fenômeno parafisiológico e universal pelo qual pode passar qualquer ser vivo, em conformidade com a evolução holossomática que adquiriu. É uma experiência pela qual pode passar qualquer tipo de pessoa: crianças, adultos e idosos; pessoas saudáveis e doentes; portadores de elevados princípios morais e pessoas imorais; operários, técnicos, cientistas, militares e políticos; cristãos, muçulmanos, budistas, hinduístas, taoístas e ateus.

Você já teve pelo menos uma EFC Lúcida? Que tal participar da Pesquisa Online sobre EFCs?

Acesse a pesquisa nesse link.

Para saber mais:

Livro Estado VibracionalLivro Experiências Fora do Corpo - Fundamentos

Experiências Fora do Corpo em fase final de revisão

FC09082015

A terceira edição do meu primeiro livro, Experiências Fora do Corpo, encontra-se em sua fase final de revisão e ampliação.

O livro trás vários acréscimos no conteúdo, incluindo novos capítulos, assuntos, figuras, índices, técnicas e casos de EFCs lúcidas.

O conteúdo foi enriquecido com os resultados de uma pesquisa de opinião online, ainda em curso, sobre os diversos aspectos das EFCs, respondida por 203 pessoas.

A revisão do livro tem três premissas:

  • Apresentar os diversos conteúdos de forma mais clara e objetiva para o leitor;
  • Acentuar o caráter prático do livro;
  • Torná-lo uma das melhores obras sobre EFCs disponíveis no Brasil

Comparação da edição atual com a nova:

Comparação

Você já teve pelo menos uma EFC Lúcida? Que tal participar da Pesquisa Online sobre EFCs?

Acesse a pesquisa nesse link.

Para saber mais:

Livro Estado VibracionalLivro Experiências Fora do Corpo - Fundamentos

 

Diferenças entre EFC Consciente e Semiconsciente

Pesquisa Experiências Fora do Corpo

A EFC – Experiência Fora do Corpo é um fenômeno parafisiológico que atinge 100% das pessoas. Em outras palavras, todas as pessoas, sem exceção, tem EFCs.

Um detalhe fundamental que diferencia as pessoas é o grau de lucidez que elas manifestam durante uma EFC.

Para o cidadão planetário comum, ainda muito arraigado as energias densas e agressivas, existem apenas as EFCs ou projeções inconscientes. A noite, quando dorme, pode ficar coincidente com o corpo físico que repousa ou afastar-se dele, situando-se em suas proximidades, imerso em suas próprias criações mentais, tal qual sonâmbulo extrafísico. Ao despertar do sono, nenhuma rememoração tem além de sonhos e pesadelos que tenha produzido.

Cerca de 14% da população, também passa por projeções lúcidas. Esse percentual, contudo, inclui aquelas pessoas que tiveram umas poucas ou até mesmo uma única experiência projetiva ao longo da vida. Dessa forma, apenas pequeno percentual tem, com maior regularidade, EFCs lúcidas. Se assim não fosse, esse fenômeno já teria sido muito mais estudado e aceito, inclusive pela ciência oficial.

Certo percentual da população, talvez 30 ou 40%, tem as chamadas projeções semiconscientes. Durante uma projeção semiconsciente, o projetor manifesta-se na dimensão extrafísica, contudo, sua lucidez ainda está limitada a um percentual muito baixo, por vezes oscilando entre a lucidez e a inconsciência. Quando ele retorna ao corpo físico, caso não se esqueça das experiências que vivenciou, normalmente vai considerá-las como simples sonhos.

Em dezembro de 2014 dei início a uma pesquisa online sobre EFCs. Seu objetivo é obter informações mais confiáveis sobre como as pessoas conduzem suas projeções lúcidas, indo além do “achismo” e das meras especulações. Inúmeras pesquisas desse tipo já foram realizadas, poucas delas no Brasil e essas, até onde sei, não foram divulgadas.

Hoje enviei um relatório com a compilação dos primeiros resultados dessa pesquisa para os respondentes, cerca de 169 pessoas.

Nesse relatório, chama a atenção o fato de 37% dos respondentes ainda terem dúvida sobre se suas experiências são projeções lúcidas ou não.

FC31052015

Existem algumas diferenças básicas entre as projeções conscientes e semiconscientes. No primeiro caso, mesmo que sua lucidez não esteja lá nos melhores níveis, o projetor sabe que está fora do corpo, sabe que está projetado, sabe que não está usando naquele momento o seu corpo físico e que está, portanto, na dimensão extrafísica.

Mas, e se o projetor não atentar para isso? Se não parar para pensar em seu presente estado de manifestação, ainda assim ele estará em uma projeção lúcida? Nesse caso entramos em um campo nebuloso quanto a classificar a EFC como lúcida ou semiconsciente.

Por exemplo, vou descrever uma experiência que tive hoje.

“Levantei-me cedo. Após um intenso trabalho bioenergétio, retornei a cama adormecendo minutos depois. Quando dei por mim, estava junto com um grupo de pessoas. Estava sentado quando uma mulher entrou no recinto. Era forte, seus cabelos encaracolados mas não guardei detalhes sobre sua face. Nos reconhecemos mutuamente (embora agora eu não saiba mais quem ela realmente era). Ela se sentou ao meu lado e me deu um forte abraço. Perguntei-lhe sobre outra mulher que era nossa conhecida (agora também não sei quem seria). Houve um lapso de tempo e passei a ver ao meu lado uma mulher deitada em uma cama. Talvez fosse a mulher por quem perguntara momentos antes, não sei dizer. Essa mulher deitada tinha uma aparência peculiar. Ela era muito pequena, do tamanho de uma criança recém-nascida (estaria em fase pré-encarnatória, quando o psicossoma reduz seu tamanho?). A cama era forrada com um lençol branco, Outro lençol cobria seu corpo deixando a mostra apenas seu colo e a face. Percebi que trajava uma roupa azul escuro e, o que mais me chamou a atenção, sua face estava excessivamente envelhecida. Embora tivesse cabelos normais, pretos, lisos e compridos, sua pele estava toda enrugada, com inúmeras dobras e pequenas manhas, comuns em pessoas com idade avançada. Embora eu não estivesse totalmente lúcido de estava projetado, embora não tenha pensado nisso, estava lúcido o suficiente para saber que naquela dimensão minha atuação energética podia fazer (algo que é impossível na dimensão intrafísica): mudar a sua aparência envelhecida. Assim, toquei seu pequeno rosto com a paramão e comecei a concentra-me para mobilizar bioenergias no intuito de mudar sua aparência para melhor. Houve um lapso e, momentos depois, despertava novamente no corpo físico.”

Como classificar essa experiência? Quando existe dúvida, a melhor opção é que ela seja encarada como uma EFC semiconsciente.

Caso você, leitor desse blog, ainda tenha dúvidas sobre se suas EFCs são lúcidas ou não, use o critério descrito acima.

Você já teve pelo menos uma EFC Lúcida? Que tal participar da Pesquisa Online sobre EFCs?

Acesse a pesquisa nesse link.

Para saber mais:

Livro Estado VibracionalLivro Experiências Fora do Corpo - Fundamentos

 

 

 

 

 

Alcance da EFC e Absorção Energética

FC21042015

Em uma EFC – Experiência Fora do Corpo, quanto mais distante do soma a consciência manifestar-se com seu psicossoma, maior será a sua absorção de energia sutil.

O resultado desse fenômeno faz-se sentir no corpo físico quando o projetor retorna ao soma. Por exemplo, em uma noite de sono com, por exemplo, duas horas de duração, ao retornar de uma EFC lúcida, o projetor poderá notar que seu está totalmente revitalizado e disposto como se ele tivesse dormido durante 8 horas. 

O mecanismo que explica o porquê disso é simples.

O espaço está repleto de energias livres, de tal forma que, quanto mais longe do soma vai o projetor, mais espaço ele tem que percorrer, e assim maior é a quantidade de energias livres com que seu holossoma interage e absorve.

Se o deslocamento for inteiramente na dimensão crostal, essas energias terão um padrão mais denso.

Mas, se parte ou todo ele se der em uma dimensão extrafísica com um padrão energético melhor, a revitalização de todos os centros energéticos do projetor será igualmente melhor.

Essa absorção é natural. Outras formas de absorver energias extrafísicas sutis com efeito revitalizador no soma seriam:

  • Estando o projetor em uma dimensão mais sutil, absorver energias ali, de forma intencional;
  • Por meio da atuação de amparadores extrafísicos de exteriorizem energia para o projetor.

Você já teve pelo menos uma EFC Lúcida? Que tal participar da Pesquisa Online sobre EFCs?

Acesse a pesquisa nesse link.

Para saber mais:

Livro Estado VibracionalLivro Experiências Fora do Corpo - Fundamentos

 

 

 

 

 

Os sonhos que guiam os Guaranis

FA10302015

Guaranis é o termo que descreve uma das mais representativas etnias indígenas das Américas que se distribui por um território descontínuo que abrange 5 países: Bolívia, Paraguiai, Argentina, Uruguai e Brasil, estendendo-se, em nosso país, do Espirito Santo até o Rio Grande do Sul.

Sua ampla população encontra-se dividida em diversos subgrupos étnicos, dos quais os mais significativos, em termos populacionais, são caiouás, os embiás, os nhandevas, os ava-xiriguanos, os guaraios, os izozeños e os tapietés. Cada um destes subgrupos possui especificidades dialetais, culturais e cosmológicas, diferenciando, assim, sua “forma de ser” Guarani das demais.

Do período anterior ao contato com a cultura europeia, sabe-se que eram sociedades descentralizadas de caçadores e agricultores seminômades. Sua alimentação fundamentava-se na caça e coleta. A agricultura também era praticada mas de forma complementar.

Qual é a relação entre os Guaranis e as EFCs – Experiências Fora do Corpo? A resposta está nos sonhos!

Na vida dos Guaranis,  o sonho, tem especial significado. Ele é “vivo e presente. “

Como se sabe, experiências extracorporais conscientes e semiconscientes são muitas vezes tomadas por sonhos, seja em meio a esse povo, seja por qualquer outra pessoa pois ainda não existe um conhecimento fenomenológico consolidado e amplamente difundido sobre EFCs.

Vejamos então alguns aspectos da vida Guarani influenciadas pelos “sonhos”.

A questão da vida na Terra é enfocada desde antes do nascimento nas relações que são travadas aqui. “Como num sonho” eles acreditam que devem seguir suas vidas “cuidando dos sonhos”. O sonho faz aparecer o inconsciente coletivo do grupo.

As decisões mais importantes da vida comunitária dos povos Guaranis são tomadas conforme indicações colhidas durante os sonhos dos xamãs da tribo, chamados Karaí.

O nomadismo é uma característica comum desses povos. Suas constantes migrações foram e são guiadas pelos Karaí. Decisões sobre migrações, por exemplo, são tomadas com base nos sonhos desses xamãs.

Decisões que afetam a coletividade são tomadas por meio de um conselho comunitário. Mas, quando as decisões são difíceis, quando seu impacto é grande, o cacique pode recorrer aos Karaí que guiam-se pelos seus sonhos para poderem orientar o cacique e a comunidade.

Crianças são “batizadas” por meio de um ritual em que recebem seus nomes. Todos tem dois nomes, o convencional e o nome celestial, que é dado pelo Karaí. O nome celestial é passado para o Karaí por meio de seus sonhos.

Concluindo, ainda que os sonhos não produzam resultados imediatamente palpáveis, para os Guaranis, eles são experiências de onde provêm saber e poder. Quem sonha sabe e pode muito mais que aquele que não sonha; por isso, os pajés cultivam o sonhar como uma das fontes mais importantes de sua sabedoria e poder.

E você leitor? Também usa seus “sonhos” como uma ferramenta de apoio a decisão, como se fosse mais um sentido para perceber o mundo em que vive?

Referências

http://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/tessituras/article/viewFile/4309/3798

Para saber mais:

Livro Estado VibracionalLivro Experiências Fora do Corpo - Fundamentos

 

 

 

 

 

A pesquisa sobre a prática do Estado Vibracional prosegue

Pesquisa Online Sobe o EV

Em 2014 iniciei uma pesquisa online sobre a prática do estado vibracional. Os resultados foram publicados na primeira edição do meu livro Estado Vibracional.

A pesquisa prossegue. Pretendo conseguir mais respondentes a fim de tornar os dados coletados mais expressivos do universo de praticantes do EV e, portanto, mais confiáveis.

Se você pratica a técnica do estado vibracional, participe também! São necessários apenas 5 minutos para respondê-lo.

Se você já preencheu esse questionário de pesquisa anteriormente, você receberá as atualizações periodicamente.

Link para o questionário: http://www.metaconsciencia.com/pesquisa-estado-vibracional.html

Para saber mais:

Livro Estado Vibracional

Livro Estado VibracionalLivro Experiências Fora do Corpo - Fundamentos

 

 

 

 

 

Elementais

FC_22022015

“Elementais” é um assunto polêmico dada a falta de informações confiáveis e um grande processo de mistificação decorrente disso.

O termo em si (elemental) é muito utilizado pela Teosofia, doutrina fundada pela russa Helena Blavatsky.

Uma das ideias correntes é de que os elementais seriam consciências que seguem uma linha evolutiva paralela a humana e que, portanto, jamais renasceriam aqui. Não creio que isso seja correto.

A outra ideia, mais coerente, é que elementais seriam consciências que, como todas as demais, obedecem as mesmas leis relativas ao progresso evolutivo. Nesse sentido, os elementais fariam parte do continuum evolutivo planetário, consciências simples saindo do reino animal mas que ainda não chegaram ao nível de raciocínio e lucidez de reino hominal, estando, portanto em um estado intermediário.

Assim, essas consciências são chamadas de “espíritos dos elementos da natureza”, “elementais” (derivado do termo anterior), “espíritos da natureza”, “espíritos servi­dores da natureza”, “ante-humanos” e “subumanos”.

Referências a elementais existem, além da Teosofia, no espiritismo, na umbanda e em outras formas de sincretismo.

No livro “Nosso Lar”, psicogrado por Chico Xavier, André Luiz descreve um encontro que teve com essas consciências quando teve que vir a dimensão extrafísica crostal:

“Narcisa chamou alguém, com expressões que eu não podia compreender.

Daí a momentos, oito enti­dades atendiam-lhe ao apelo. Imensamente surpreendido, vi-a indagar da existência de mangueiras e eucaliptos. Devidamente informada pelos amigos, que me eram totalmente estranhos, a enfermeira ex­plicou: – São servidores comuns do reino vegetal, os irmãos que nos atenderam . “

A atuação dos elementais estaria relacionada a processos bioenergéticos da natureza, estando presentes em locais com abundância dessas bioenergias, tais como aqueles que tem muita vegetação, corregos de água, rios, etc.

Desconheço quaisquer técnicas que tenham sido usadas por consciências intrafísicas para valer-se da colaboração desses seres com finalidade cosmoética. O que já ouvi falar muito são evocações no sentido de usar essas consciências em trabalhos de magia, cujas motivações e resultados são, no mínimo, questionáveis.

Não é comum projetores lúcidos encontrarem tais criaturas em suas experiências extrafísicas. Parece que elas são arredias. Nossos pensenes (pensamentos+sentimentos+energias) aparentemente as afugentam.

Ocorre que, as vezes, projetores ou clarividentes, veem formas pensamentos ou consciências extrafísicas com aparências diferentes e acabem crendo que tratam-se de elementais.

Para Saber Mais:

Experiências Fora do Corpo – Fundamentos

Experiências Fora do Corpo: O Guia do Iniciante

www.metaconsciencia.com

www.estadovibracional.com

Para saber mais:

Livro Estado VibracionalLivro Experiências Fora do Corpo - Fundamentos

 

 

 

 

 

Novo livro atesta que as Experiências Extracorporais são reais

EFC_09012015

A  publicação na Holanda do livro “Wat een stervend brein niet kan”, literalmente “O que um cérebro morrendo é capaz de fazer” no ano passado vem causando, desde então, grande repercussão.

Escrito por três médicos, Titus Rivas, Anny Adrien e Rudolf Smit , o livro descreve 70 casos de pessoas que relataram experiências de EQM – Experiencia de Quase Morte, um período em que estiveram clinicamente mortas.

O caso mais impressionante se refere  a um paciente clinicamente morto por 20 minutos durante uma cirurgia cardíaca. Após “voltar a vida” ele descreveu como saiu de seu corpo e soube indicar precisamente a posição em que cada um dos médicos durante o período em que estava clinicamente morto, além de fatos relevantes que aconteceram na sala de cirurgia.

Os pesquisadores-autores do livro escolheram os depoimentos com cuidado levando em conta a precisão dos relatos, não poupando esforços para garantir sua autenticidade e integridade.

Titus Rivas, um dos autores, concedeu uma longa entrevista para a Radio Merjlin onde fala sobre a pesquisa descrita no livro. A entrevista pode ser ouvida no Youtube nesse link. Apesar de estar em Holandês, legendas em português podem ser ativadas.

 

Para Saber Mais:

Experiências Fora do Corpo – Fundamentos

Experiências Fora do Corpo: O Guia do Iniciante

www.metaconsciencia.com

www.estadovibracional.com

Livros:

Livro Estado VibracionalLivro Experiências Fora do Corpo - Fundamentos