Mais sobre os Cátaros

Mais sobre os Cátaros. Os leitores do Post anterior onde citava os Cátaros talvez não tenham entendido porque o trabalho assistencial realizado por meu amigo estava relacionado com minha EFC. Cabem então alguns esclarecimentos.

Meu primeiro contato com os Cátaros ocorreu nos anos 90 por meio da leitura do livro “Os Cátaros e a Reencarnação” de Arthur Guirdham. Em 1999, esse mesmo amigo que realizou o trabalho assistencial a poucos dias, apresentou-me uma pessoa de sua relação, um Juiz de Direito que reside em Brasília e que, anos antes, fizera uma viagem ao sul da França para visitar os lugares onde os Cátaros viveram. Ele mostrou-me vários livros sobre esse povo que adquira naquela região. Um desses livros, descrevendo castelos e personagens daquela época, despertou-me a atenção e a leitura de algumas páginas causou-me particular curiosidade quanto a um castelo e a um personagem em particular.

Com o passar dos anos, eu viria a descobrir que, de fato, eu, assim como vários amigos e pessoas conhecidas teríamos vivido naquela região e vivenciado vários episódios registrados na história relacionados aos Cátaros. Isso explica, portanto, o interesse desse amigo pelo assunto e como a realização do trabalho espiritualista acabou repercutindo em mim. Estamos interligados por conta dos mesmos episódios do passado.

A última experiência que vivenciei, relacionada a esse povo, ocorreu poucos dias atrás. Provavelmente, foi mais uma repercussão decorrente do trabalho assintencial realizado no início do mês. Na madrugada de 26 de agosto passei por várias experiências extrafísicas. Por volta de 3 horas da manhã despertei, mudei de posição na cama e adormeci por breves momentos, acordando novamente em seguida. Nesse ínterim, passei pela experiência descrita a seguir.

Eu estava numa sala que parecia ser um local de estudos. Junto a uma parede havia uma estante de madeira envelhecida. Caminhei até a estante e rapidamente peguei um livro pequeno, com capa azul que ali estava depositado. Rapidamente o abri e folhei-o, passando por várias páginas. Aquele livro, senti, eu já conhecia de algum lugar. Conforme folheava o livro, observava as imagens gravadas nas páginas. Não havia texto, somente imagens, mas, conforme eu as olhava, a história referente aquele capítulo do livro vinha a minha mente. As imagens, como que pintadas com um traço rápido, um pouco tremidas, eram estáticas. Todas tinham como característica o predomínio de tons de azul, tal como a capa do livro.

O livro tratava das inúmeras aventuras de um jovem casal e passava-se na idade média, provavelmente no período final dessa era. Esse casal havia entrado numa fase de suas vidas repleta de viagens e de muitas aventuras. Cada capítulo referia-se a uma dessas aventuras.

Ao despertar, minha primeira surpresa foi como tudo aquilo acontecera em apenas poucos minutos de sono. Fenômenos de compressão de tempo são comuns em EFCs. Em seguida surgiu-me a impressão de que esse livro relate, na realidade, uma de minhas existências passadas. Com base em experiências projetivas anteriores, o insistente predomínio do azul no livro, para mim, indica uma conexão com os Cátaros. Agora pretendo acessar esse livro mais vezes para continuar a ler seus capítulos até poder transcrevê-lo completamente e, quem sabe, até publicá-lo.

Para saber mais – Livros:

Livro Estado VibracionalLivro Experiências Fora do Corpo - Fundamentos

 

 

 

 

 

Anúncios

Mais uma EFC Comprovada

Pierre volitando sobre Carcassone

Mais uma EFC comprovada. Na noite do dia 7 de agosto comprovei mais uma EFC, passando pela experiência descrita a seguir. Estava na companhia de duas outras pessoas num thriller que mesclava terror e ficção científica. Estávamos num prédio abandonado e na penumbra. Eu sabia que, no andar superior, estavam os corpos de dois homens que haviam sido decapitados. Uma criatura, algo que para mim era uma espécie de alienígena, era a responsável por isso. A aparência dessa criatura, eu sabia, era medonha. Sem tê-la visto, eu sabia que ela era bípede, da altura de um homem e que tinha uma pele na forma de carapaça de caranguejo, dura e cinzenta, com uma cabeça na forma de bola de futebol americano deitada. No lugar das mãos ele tinha garras como às de um caranguejo. Em dado momento “vi” os dois sujeitos cujas cabeças foram cortadas, com um forte jorro de uma densa massa avermelhada que fazia às vezes de sangue e que saia em abundância de seus pescoços. Tudo aquilo parecia como um filme que eu já havia visto, então, eu sabia de tudo o que se passou e o que se passaria por esse motivo. Em dado momento, a criatura aproximou-se da porta da sala do andar onde estávamos. Percebi sua sombra e sabia que não seria bom encará-la de frente. Quando ela finalmente ia entrar na sala houve um corte na cena e me vi num outro local, como se houvesse despertado daquele sonho. Encerro esse relato nesse ponto, pois, a partir daí, os eventos tomaram outro rumo.

Dias antes dessa experiência, mais precisamente, em 27 de julho, um amigo solicitou-me alguns de meus arquivos acerca dos Cátaros (1), pois ele iria participar de um trabalho em uma instituição espiritualista na qual trabalha, em benefício das consciências ligadas aos episódios envolvendo esse povo.

No dia 9 de agosto, esse amigo ligou-me para contar algo do que se passara durante o trabalho assistencial, realizado na instituição no dia anterior. Foram atendidas muitas consciências extrafísicas em graus variados de perturbação, inclusive algumas que aparentavam ser cavaleiros sem cabeça, um dano causado em seus corpos espirituais aparentemente por terem eles cortado a cabeça de muitos cátaros (2). O trabalho foi intenso e certamente deve ter auxiliado a várias consciências que a séculos padecem em função dos crimes cometidos a quase 800 anos.

A princípio, não notei que o relato de meu amigo tinha vários detalhes semelhantes ao episódio que eu vivenciara no dia 7, na véspera do trabalho, em especial para a questão de um conflito que resultou em pessoas com as cabeças decepadas por alguém. Somente alguns dias depois, quando tive tempo de registrar a experiência acima é que me dei conta dos pontos em comum.

Para mim, essa foi mais uma comprovação de que as experiências fora do corpo são reais e que por meio delas podemos travar contato com outras realidades, ter acesso a informações de forma privilegiada e trazê-las para a dimensão intrafísica onde, eventualmente, podemos usá-las de forma proveitosa.

Notas:

(1) Cátaros: Literalmente, “Os Puros”. Denominação dada a uma população que viveu no sul-sudoeste da França entre os séculos XI e XIII. Os Cátaros eram considerados hereges pela Igreja Católica por cultivarem crenças diversas as impostas na época, tais como a reencarnação. Para perseguir e eliminar os Cátaros, a Igreja criou a Inquisição e mobilizou um vasto exército na forma de uma cruzada. A “Cruzada Albigense” realizada entre os anos de 1209 e 1244, de forma brutal e definitiva, eliminou completamente os Cátaros e praticamente todas as referências a eles.

(2) Não raro, pessoas que realizam atos de crueldade acabam fixando sua mente nos episódios do qual foram protagonistas de tal forma que, após a morte do corpo físico, essas idéias fixas acabam por deformar seus corpos extrafísicos, assumindo formas por vezes mutiladas ou deformadas, permanecendo por longo tempo nessa condição.

(3) Carcassone (foto acima), no sul da França, era uma das principais cidades do antigo “País Cátaro”. Restaurada no século XIX, é hoje maior castelo medieval existente na Europa. Tirei essa foto em 2007 quando visitei a cidade. Quanto ao Pierre, naturalmente apareceu na foto por obra e graça dos recursos do Photoshop.

Para saber mais – Livros:

Livro Estado VibracionalLivro Experiências Fora do Corpo - Fundamentos

 

 

 

 

 

VII Encontro PSI

Será realizado nos dias 17 e 18 de agosto o VII Encontro Psi: Pesquisa Psi e Psicologia Anomalística. O evento é promovido pelo Centro Integrado de Pesquisa Experimental (CIPE) das Faculdades Integradas Espírita e pela International Society of Life Information Science (Japão). O encontro será na cidade de Curitiba, PR.

Nesta sétima edição pesquisadores da Alemanha, Argentina, Brasil, EUA, Inglaterra, Japão, Rússia e Suécia estarão mostrando seus últimos estudos sobre fenômenos de percepção extrassensorial e ação direta da mente sobre sistemas biológicos e físicos; medidas biofísicas das supostas curas psíquicas; experiências de estados e excepcionais da mente, incluindo medidas neurofisiológicas; alegadas experiências fora-do-corpo; experiências próximas da morte e as experiências místicas ou espirituais, entre outros temas.

Paralelamente ao VII Encontro, serão realizados na mesma semana em Curitiba dois outros eventos:

-A VI Jornada de Estados Modificados de Consciência, nos dias 16, 17, 21 e 22 de Agosto

-54th Annual Convention of the Parapsychological Association

Saiba Mais:

VII Encontro Psi:

http://www.faculdadeespirita.com.br:80/cipe/11_ind.htm

VI Jornada de Estados Modificados de Consciência:

http://www.faculdadeespirita.com.br/cipe/20_JEMC.htm

4th Annual Convention of the Parapsychological Association:

http://parapsych.org/section/22/2011_convention.aspx

Para saber mais – Livros:

Livro Estado VibracionalLivro Experiências Fora do Corpo - Fundamentos