Mais uma EFC Comprovada

Pierre volitando sobre Carcassone

Mais uma EFC comprovada. Na noite do dia 7 de agosto comprovei mais uma EFC, passando pela experiência descrita a seguir. Estava na companhia de duas outras pessoas num thriller que mesclava terror e ficção científica. Estávamos num prédio abandonado e na penumbra. Eu sabia que, no andar superior, estavam os corpos de dois homens que haviam sido decapitados. Uma criatura, algo que para mim era uma espécie de alienígena, era a responsável por isso. A aparência dessa criatura, eu sabia, era medonha. Sem tê-la visto, eu sabia que ela era bípede, da altura de um homem e que tinha uma pele na forma de carapaça de caranguejo, dura e cinzenta, com uma cabeça na forma de bola de futebol americano deitada. No lugar das mãos ele tinha garras como às de um caranguejo. Em dado momento “vi” os dois sujeitos cujas cabeças foram cortadas, com um forte jorro de uma densa massa avermelhada que fazia às vezes de sangue e que saia em abundância de seus pescoços. Tudo aquilo parecia como um filme que eu já havia visto, então, eu sabia de tudo o que se passou e o que se passaria por esse motivo. Em dado momento, a criatura aproximou-se da porta da sala do andar onde estávamos. Percebi sua sombra e sabia que não seria bom encará-la de frente. Quando ela finalmente ia entrar na sala houve um corte na cena e me vi num outro local, como se houvesse despertado daquele sonho. Encerro esse relato nesse ponto, pois, a partir daí, os eventos tomaram outro rumo.

Dias antes dessa experiência, mais precisamente, em 27 de julho, um amigo solicitou-me alguns de meus arquivos acerca dos Cátaros (1), pois ele iria participar de um trabalho em uma instituição espiritualista na qual trabalha, em benefício das consciências ligadas aos episódios envolvendo esse povo.

No dia 9 de agosto, esse amigo ligou-me para contar algo do que se passara durante o trabalho assistencial, realizado na instituição no dia anterior. Foram atendidas muitas consciências extrafísicas em graus variados de perturbação, inclusive algumas que aparentavam ser cavaleiros sem cabeça, um dano causado em seus corpos espirituais aparentemente por terem eles cortado a cabeça de muitos cátaros (2). O trabalho foi intenso e certamente deve ter auxiliado a várias consciências que a séculos padecem em função dos crimes cometidos a quase 800 anos.

A princípio, não notei que o relato de meu amigo tinha vários detalhes semelhantes ao episódio que eu vivenciara no dia 7, na véspera do trabalho, em especial para a questão de um conflito que resultou em pessoas com as cabeças decepadas por alguém. Somente alguns dias depois, quando tive tempo de registrar a experiência acima é que me dei conta dos pontos em comum.

Para mim, essa foi mais uma comprovação de que as experiências fora do corpo são reais e que por meio delas podemos travar contato com outras realidades, ter acesso a informações de forma privilegiada e trazê-las para a dimensão intrafísica onde, eventualmente, podemos usá-las de forma proveitosa.

Notas:

(1) Cátaros: Literalmente, “Os Puros”. Denominação dada a uma população que viveu no sul-sudoeste da França entre os séculos XI e XIII. Os Cátaros eram considerados hereges pela Igreja Católica por cultivarem crenças diversas as impostas na época, tais como a reencarnação. Para perseguir e eliminar os Cátaros, a Igreja criou a Inquisição e mobilizou um vasto exército na forma de uma cruzada. A “Cruzada Albigense” realizada entre os anos de 1209 e 1244, de forma brutal e definitiva, eliminou completamente os Cátaros e praticamente todas as referências a eles.

(2) Não raro, pessoas que realizam atos de crueldade acabam fixando sua mente nos episódios do qual foram protagonistas de tal forma que, após a morte do corpo físico, essas idéias fixas acabam por deformar seus corpos extrafísicos, assumindo formas por vezes mutiladas ou deformadas, permanecendo por longo tempo nessa condição.

(3) Carcassone (foto acima), no sul da França, era uma das principais cidades do antigo “País Cátaro”. Restaurada no século XIX, é hoje maior castelo medieval existente na Europa. Tirei essa foto em 2007 quando visitei a cidade. Quanto ao Pierre, naturalmente apareceu na foto por obra e graça dos recursos do Photoshop.

Para saber mais – Livros:

Livro Estado VibracionalLivro Experiências Fora do Corpo - Fundamentos

 

 

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s