Mais sobre os Cátaros

Mais sobre os Cátaros. Os leitores do Post anterior onde citava os Cátaros talvez não tenham entendido porque o trabalho assistencial realizado por meu amigo estava relacionado com minha EFC. Cabem então alguns esclarecimentos.

Meu primeiro contato com os Cátaros ocorreu nos anos 90 por meio da leitura do livro “Os Cátaros e a Reencarnação” de Arthur Guirdham. Em 1999, esse mesmo amigo que realizou o trabalho assistencial a poucos dias, apresentou-me uma pessoa de sua relação, um Juiz de Direito que reside em Brasília e que, anos antes, fizera uma viagem ao sul da França para visitar os lugares onde os Cátaros viveram. Ele mostrou-me vários livros sobre esse povo que adquira naquela região. Um desses livros, descrevendo castelos e personagens daquela época, despertou-me a atenção e a leitura de algumas páginas causou-me particular curiosidade quanto a um castelo e a um personagem em particular.

Com o passar dos anos, eu viria a descobrir que, de fato, eu, assim como vários amigos e pessoas conhecidas teríamos vivido naquela região e vivenciado vários episódios registrados na história relacionados aos Cátaros. Isso explica, portanto, o interesse desse amigo pelo assunto e como a realização do trabalho espiritualista acabou repercutindo em mim. Estamos interligados por conta dos mesmos episódios do passado.

A última experiência que vivenciei, relacionada a esse povo, ocorreu poucos dias atrás. Provavelmente, foi mais uma repercussão decorrente do trabalho assintencial realizado no início do mês. Na madrugada de 26 de agosto passei por várias experiências extrafísicas. Por volta de 3 horas da manhã despertei, mudei de posição na cama e adormeci por breves momentos, acordando novamente em seguida. Nesse ínterim, passei pela experiência descrita a seguir.

Eu estava numa sala que parecia ser um local de estudos. Junto a uma parede havia uma estante de madeira envelhecida. Caminhei até a estante e rapidamente peguei um livro pequeno, com capa azul que ali estava depositado. Rapidamente o abri e folhei-o, passando por várias páginas. Aquele livro, senti, eu já conhecia de algum lugar. Conforme folheava o livro, observava as imagens gravadas nas páginas. Não havia texto, somente imagens, mas, conforme eu as olhava, a história referente aquele capítulo do livro vinha a minha mente. As imagens, como que pintadas com um traço rápido, um pouco tremidas, eram estáticas. Todas tinham como característica o predomínio de tons de azul, tal como a capa do livro.

O livro tratava das inúmeras aventuras de um jovem casal e passava-se na idade média, provavelmente no período final dessa era. Esse casal havia entrado numa fase de suas vidas repleta de viagens e de muitas aventuras. Cada capítulo referia-se a uma dessas aventuras.

Ao despertar, minha primeira surpresa foi como tudo aquilo acontecera em apenas poucos minutos de sono. Fenômenos de compressão de tempo são comuns em EFCs. Em seguida surgiu-me a impressão de que esse livro relate, na realidade, uma de minhas existências passadas. Com base em experiências projetivas anteriores, o insistente predomínio do azul no livro, para mim, indica uma conexão com os Cátaros. Agora pretendo acessar esse livro mais vezes para continuar a ler seus capítulos até poder transcrevê-lo completamente e, quem sabe, até publicá-lo.

Para saber mais – Livros:

Livro Estado VibracionalLivro Experiências Fora do Corpo - Fundamentos

 

 

 

 

 

Anúncios

2 comentários sobre “Mais sobre os Cátaros

  1. Estou aprendendo muito com esse blog. Parabéns !
    A qual livro vc se refere quando diz “pretendo acessar esse livro mais vezes”? O q leu quando projetado ou “Os Cátaros e a Reencarnação?
    Se for o livro quando projetado, como isso é possível? Pergunto pq participo de algumas projeções conscientes. Devo iniciar os estudos por quais livros?

    • Olá Maria de Fátima

      Em primeiro lugar, obrigado pelo seu incentivo!

      Quanto a suas dúvidas, sim eu me referia ao livro que li no extrafísico durante minha projeção. Livros nada mais são do que energia concentrada. Isso vale para o físico e para o extrafísico. Aqui, usamos gráficas, papel e tinta. No extrafísico, livros podem ser plasmados empregando-se apenas a vontade perfeitamente focalizada da mente. Muitos livros, senão todos, nascem originalmente no extrafísico e depois, alguem os materializa (escreve-os) aqui. Como escritor (meu primeiro livro impresso sai agora no início do ano) sou muito ligado a livros, logo, volta e meia deparo-me com eles fora do corpo. É possível sim que eu encontre esse livro novamente em outra projeção, para continuar a ler sobre ele e inspirar-me para escrever novos livros. Para tanto, é necessário focalizar a mente, a vontade em rever esse livro e fazer um exercício projetivo. Fazer uma trabalho energético de autodefesa previamente pode ser necessário também, pois sempre tem a turma do “deixa disso” de plantão para atrapalhar qualquer coisa de bom que queiramos fazer fora do corpo.

      Quanto a sugestão de livros para ler, veja o menu “Bibliografia” nesse Blog, onde relaciono algumas obras preferenciais.

      Um abraço e Feliz Ano Novo!

      Cesar Machado

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s