Eficiência da Técnica de LaBerge

 

Stephen LaBerge é um respeitado psicofisiologista que dedicou-se ao estudo científico sobre sonho lúcido. Formado como bacharel em matemática em 1967, começou pesquisar sobre sonhos lúcidos em seu Ph.D. em psicofisiologia na Universidade Stanford, concluído  em 1980.

Técnica. LaBerge desenvolveu técnicas para permitir que ele mesmo e outros pesquisadores entrassem num estado de sonho lúcido à vontade. Uma dessas técnicas que passou a ser conhecida como “Técnica de Laberge”, consiste em o experimentador acordar antes do seu horário habitual de sono noturno, levantar-se, caminhar pela casa e fazer algumas outras atividades de menor importância por um período de 20 a 30 minutos. Depois o experimentador retorna para a cama e volta a dormir até a hora habitual de despertar. As ocorrências de sonhos lúcidos durante esse período final de sono demostraram ser maiores.

O estado de sonho lúcido é notoriamente difícil de alcançar. O pesquisador Daniel Erlacher, da Universidade de Berna, na Suíça, vem trabalhando em maneiras de induzi-los. Em suas últimas tentativas de produzir sonhos lúcidos em laboratório, ele aplicou uma variante da “Técnica de Laberge”, acordando os participantes de sua pesquisa nas primeiras horas da manhã e pedindo-lhes para pensar sobre os sonhos que tiveram e os sonhos que eles gostariam de ter. Depois eles eram conduzidos de volta para a cama para continuar com o experimento.

Segundo Erlacher, embora apenas 10 por cento dos sonhos dos participantes sejam lúcidos antes que eles tentassem a técnica, esse índice subiu para taxas de sucesso de mais de 50 por cento com a aplicação dessa técnica.

Esses resultados foram apresentados na reunião anual da Sociedade Sono na Alemanha  em 2011. Elarcher comenta: “Uma vez que você ter o controle de seus sonhos, por que parar aí? Sonhadores lúcidos que são capazes de sonhar que jogam uma moeda em um copo tem uma pontaria melhor no dia seguinte em comparação com aqueles que não treinam em seus sonhos”.

Para saber mais: Consulte a Olympic extremes: Thought control de Jessica Hamzelou, publicada no número 2874 da revista New Scientist em 18 de julho de 2012.

Para saber mais – Livros:

Livro Estado VibracionalLivro Experiências Fora do Corpo - Fundamentos

 

 

 

 

 

Anúncios

Sonhos Lúcidos para Eliminar Pesadelos de Atletas

“O Pesadelo” – Obra de Johann Heinrich Füssli – 1781

O pesquisador Victor Spoormaker do Instituto Max Planck de Psiquiatria, em Munique, na Alemanha,  vem desenvolvendo ao longo dos últimos anos formas diferentes para eliminar pesadelos recorrentes.

Uma das formas criadas é por meio do sonho lúcido, um estado onde, durante o sono, uma pessoa se torna consciente, lúcida de que está sonhando.

A ideia é passar para um estado de sonho lúcido durante o estado pesadelar, alterando esse último da maneira que que se desejar. O método foi desenvolvido por Spoormaker, que, aplicando-o a si mesmo superou os seus próprios pesadelos. Trata-se, portanto, de uma autopesquisa que acabou mostrando-se útil para outras pessoas.

Bons sonhos podem fornecer os atletas impulso extra necessário para ter sucesso. Em um estudo realizado na década de 1970, as ginastas americanos esperando para fazer a equipe olímpica foram convidados participar de uma pesquisa para avaliara frequência com que sonharam com ginástica e sobre a natureza desses sonhos. Das 12 candidatas para a pesquisa, seis disseram ter tido de antemão mais sonhos sobre o sucesso de teriam durante as competições.

O pesadelo, por outro lado, prejudica o sono e pode provocar mau humor durante o dia. Para os atletas que confiam tanto em seu lado mental como na força física, isso pode significar um desastre. No entanto, a técnica de Spoormaker vem em socorro aos atletas, garantindo-lhe bons sonhos de forma a produzir um impulso extra necessário para terem sucesso durante as competições.

Em um estudo recente, a equipe de Daniel Erlacher, da Universidade de Berna, na Suíça questionou 800 atletas alemães sobre seus hábitos de sonhar. Vinte por cento deles disseram que tinham sonhos lúcidos com frequência, e aqueles que praticaram seu uso teriam aumentado o seu desempenho.

Embora a prova de que a técnica melhora o desempenho atlético possa parecer uma anedota, Elarcher conta que muitas pessoas já estão usando-a nos esportes, que já tem certo número de atletas profissionais batendo em sua porta para obter conselhos.

Qualquer pessoa com problema de pesadelos recorrentes, e não somente atletas, pode beneficiar-se do emprego do sonho lúcido para eliminar esse estado indesejado.

Para saber mais: Consulte a matéria Olympic extremes: Thought control de Jessica Hamzelou, publicada no número 2874 da revista New Scientist em 18 de julho de 2012.

Para saber mais – Livros:

Livro Estado VibracionalLivro Experiências Fora do Corpo - Fundamentos

 

 

 

 

 

O Sonho Lúcido e a Base Neural da Consciência

Crédito da imagem: Max Planck Institute of Psychiatry

Sonhadores lúcidos são pessoas que estão cientes do estado em que se encontram e que podem, deliberadamente, realizar ações, direcionar os eventos e controlar seus sonhos.

Em março desse ano publiquei um post sobre a pesquisa de Martin Dresler e Michael Czisch, ambos do Instituto Max Planck de Psiquiatria sobre sonhos lúcidos.

O trabalho dos pesquisadores foi publicado em um artigo em outubro de 2011 na revista Current Biology e foi citado em um número de março da Readers Digest.

A pesquisa de Dresler, agora publicada pelo Journal Sleep, descreve como os recentes dados obtidos por meio de suas pesquisas possibilitaram associar a ativação em sonhadores lúcidos de áreas que são normalmente desativados durante o sono REM proporcionando aos autores uma visão melhor sobre a base neural da consciência humana.

Este padrão de atividade pode explicar a recuperação, durante o sonho comum, da reflexão e das capacidades cognitivas que são a marca registrada do sonho lúcido.

Segundo o artigo, os pesquisadores estavam interessados ​​em comparar os cérebros de sonhadores lúcidos e sonhadores normais com o objetivo de determinar os correlatos neurais que permitem que a sensibilização lúcida ocorra. A abordagem combinada de escaneamento EEG/fMRI foi usada para investigar o fenômeno.

“Nos sonhos normais temos um nível de consciência muito basal, experimentando percepções e emoções, mas não estamos conscientes de que estamos apenas sonhando”, explicou Martin Dresler, principal autor do novo artigo. Prosseguindo ele afirma que “É apenas em um sonho lúcido que o sonhador adquire um meta-conhecimento sobre o seu estado.”

Os dados de neuroimagem do estudo mostraram uma rede das regiões frontais do cérebro que são responsáveis ​​pela maior parte do controle cognitivo do processamento das emoções e da lucidez foi acentuadamente ativada em poucos segundos na medida que os experimentadores atingiram o sonho lúcido. No post anterior, descrevo o procedimento usado pelos pesquisadores para constatar quando os experimentadores estavam passando por um sonho lúcido.

Como os investigadores estudaram apenas quatro sujeitos, sendo que apenas um deles tinha um sono REM lúcido com duração suficiente para ser analisado por ressonância magnética, mais pesquisas terão que ser realizadas para verificar os padrões observados repetem-se com outras pessoas.

O córtex dorsolateral pré-frontal direito (veja figura acima) foi uma das principais áreas do cérebro onde se verificou ativações relacionadas ao sonho lúcido. Esta região, acredita-se, tem um papel relevante em uma série de capacidades cognitivas superiores, incluindo a memória, a tomada de decisão e a auto-conscientização. Os pesquisadores explicaram que a atividade nesta área, combinada com estimulação dos lobos parietais, é provavelmente o que dá acesso aos sonhadores lúcidos a sua memória de trabalho. O precuneus uma parte do lóbulo parietal superior ligada à auto-percepção também foi especialmente ativada durante o sonho lúcido.

Os pesquisadores sugerem que, com maior investigação, o sonho lúcido poderia ser utilizado como um tratamento para as pessoas com uma variedade de desordens, tais como pesadelos recorrentes e alucinações hipnagógicas.

Para saber mais: The seat of meta-consciousness in the brain – Max Plack Institute of Psychiatry

Livros:

Livro Estado VibracionalLivro Experiências Fora do Corpo - Fundamentos