ByBy Curso Intermissivo


Dando um tempo com meu Curso Intermissivo. 18 de junho de 2011. Acordei cedo, por volta de 6 horas da manhã. Permaneci na cama e, após algum tempo, voltei a dormir. Comecei a sonhar. Estava na companhia de meu pai resolvendo algo. Chegamos então no que parecia ser o pátio de um prédio ou casa. Havia ali várias pessoas, algumas sozinhas, outras em pequenos grupos, conversando. Um desses grupos chamou-me a atenção. Eram três homens que trajavam casacos vermelhos. De repente, houve um clarão e meu pai sumiu. Achei aquilo muito estranho… para onde ele havia ido? Olhei para um lado, para outro e não o via. Conscientizei-me então que estava projetado, fora do corpo físico. Afastei-me do grupo de “casacos vermelhos” e comecei a observar o ambiente e as demais pessoas ao redor. Chamou-me a atenção um sujeito pequeno, adulto, mas do tamanho de uma criança, sentado num banco próximo. Aproximei-me dele. Parecia que ele não percebera minha presença. Tinha a pele branca, cabelos compridos até os ombros, pretos e lisos. Trajava uma camisa clara e, numa mesinha a sua frente, havia um papel com algo impresso em azul claro e algumas coisas escritas a mão, com uma caneta. Peguei o papel e observei-o por alguns instantes (não consegui reter na memória o conteúdo dessas palavras). As atitudes desse sujeito indicavam que ele era um sonâmbulo extrafísico (1), provavelmente desencarnado. Afastei-me dali, passando para um terreno anexo ao daquele prédio, separado desse por um pequeno muro. Minha atenção voltou-se então para o alto. Nesse local, parecia que sob minha cabeça havia telhas de vidro semitransparentes por onde a luz externa penetrava. Comecei a flutuar enquanto observava essa cobertura. A partir desse ponto, houve uma queda no nível da lucidez. Então, veio-me a mente uma idéia-alvo: “Curso Intermissivo” (2). Passei então a repetir para mim mesmo seguidas vezes, num esforço de concentração: Quero ir ao local do meu curso intermissivo…. Minha visão foi tomada por uma intensa claridade e milhares de pequenas faíscas passaram a fluir por todos os lados… senti que meu psicossoma, flutuando, se inclinava, como se estivesse deitando. Momentos depois, ao invés de chegar ao Curso Intermissivo,…. despertei. Eram 7: 41.

Algumas Conclusões: Recentemente, fiz várias tentativas de retornar ao local do meu curso intermissivo. Para isso, empreguei um técnica de autoprogramação mental durante vários dias e, depois, priorizei outras coisas. Pelo visto, pela primeira vez, terei que “desprogramar-me” e dar byby para o curso intermissivo por ora, pois, em uma EFC como essa que vivenciei, o melhor aproveitamento teria sido continuar observando o local e as consciências ali presentes para entender quem eram e o que me levara, inconscientemente, até esse local. Ao focar a vontade em deslocar-me para outro alvo, particularmente difícil de ser atingido, provavelmente acabei por encurtar a experiência.

A realidade dos projetores é assim. Todas as experiências resultam em aprendizado, quer acertemos quer cometamos erros.

(1) O sonambulismo (inconsciência) extrafísica é a condição comum para a maioria das pessoas que passam por EFCs. Muitos desencarnados também permanecem nesse estado após a morte do corpo físico.
(2) Intermissão é o período entre duas vidas (cada vida corresponde a uma missão). Curso intermissivo é um curso que algumas pessoas fazem antes de reencarnar para poderem realizar sua missão.

Para saber mais – Livros:

Livro Estado VibracionalLivro Experiências Fora do Corpo - Fundamentos

 

 

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s